Skip to main content

Oficina de cianotipia e criação de imagens vivas

A oficina é uma jornada de descoberta, onde será possível aprender as técnicas essenciais da cianotipia.

O azul profundo da criação

A oficina de Cianotipia é uma oportunidade única para mergulhar no mundo mágico da fotografia alternativa. Este processo artístico, que remonta ao século XIX, permite que os participantes criem imagens azuis impressionantes de maneira única e criativa. A oficina é uma jornada de descoberta, onde será possível aprender as técnicas essenciais da cianotipia e explorar, de forma livre, a criação de ampliações que expressem universos próprios.

Ementa

Etapa teórica

  • O que é a cianotipia?
  • Breve contextualização histórica

Etapa prática

  • Emulsionamento demonstrativo
  • Criação de cianotipias coletivas

 

 

Sobre a Oficina

  • Dia 09/12, de 13h30 – 16h30
  • No Educativo do MAM
  • Não é necessário experiência,
  • 10 Vagas

Amanda Monasterio é fotógrafa analógica e estudante de Comunicação Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. A artista se utiliza de duplas exposições como marcas de temporalidade e faz experimentações químicas-manuais com suas próprias imagens. Amanda enxerga o ofício analógico como um elemento mágico que materializa, em grãos de prata, reações que nos permitem enxergar a maneira em que nos conectamos com o mundo e em que entendemos a humanidade. Seu trabalho é um intermédio entre a arte, a ciência e a magia e suas imagens comunicam o que é intangível de modo que o tempo e o espaço façam parte substancial de sua linguagem. A artista teve seu trabalho exposto no Efêmero (2021 e 2023), festival de fotografia experimental realizado pelo iFoto, na projeção Noite Solar do Festival SOLAR (2022), sediado na Pinacoteca do Estado do Ceará, entre outras. Atuou também como pesquisadora no Laboratório Criativo Experimental da Rede Cuca, em Fortaleza, onde participou do desenvolvimento da exposição coletiva Costurando Enquanto O Tempo Cai (2021) com mentoria do artista visual Solon Ribeiro. Além disso seu trabalho está presente em algumas publicações como na coluna In Focus (2023) no site da Ilford Photo e na vigésima oitava edição da revista Carcará photo Art (2021).