Skip to main content

Fotografia Experimental Body Projection

Uma oficina que une fotografia experimental, performance e projeções de artes generativas.

Performance, fotografia e projeções.

Esta oficina é uma atividade gratuita paralela ao Festival Carioca de Fotografia Analógica 2023 e tem como público alvo fotógrafas(os) profissionais/amadoras(es) ou público em geral ligado ao campo da Imagem e da Fotografia. Durante a oficina serão realizadas atividades ligadas à Fotografia Experimental, unindo: performance, fotografia e projeções de artes generativas.

Ementa

  • Apresentação do projeto Body Projection, criado por Junior Franco
  • Apresentação de vídeos e imagens de arquivo do projeto.
  • Orientações e técnicas para que os participantes possam usar na captura das imagens
  • Atividade prática onde os participantes terão a oportunidade de fotografar um ensaio no estilo Body Projection

Sobre a Oficina

  • Dia 02/12, de 9h às 13h
  • No estúdio Body Projections, na Cinelândia
  • As 12 vagas serão preenchidas por ordem de recebimento dos formulários corretamente preenchidos e as confirmações serão enviadas por e-mail.
  • Cada participante usará a(s) sua(a) própria(e) câmera(a) analógica(s). O Festival fornecerá a cada participante 01 (um) rolo de filme 35mm preto e branco contendo 18 poses.
  • Na atividade prática, cada participante terá 5 minutos para capturar suas imagens. Caso as poses do filme cedido terminem antes do prazo definido, está liberada a troca para outro rolo de filme de propriedade da(o) participante respeitando o limite de tempo da sessão de sua vez.
  • Em cada sessão de fotos será executada 01 (uma) performance por um(a) dançarino(a) da Cria Arte em Movimento. Serão 04 (quatro) performances ao total.
  • Será feito um sorteio no início da atividade prática para definir a ordem e a posição onde cada participante irá captar as imagens.
  • Serão formados grupos de 03 (três) participantes por performance. Cada trio terá uma única performance para captar suas imagens.

Junior Franco é pós-graduado em Fotografia tem experiência em Artes Visuais com ênfase na Fotografia Experimental. Sua pesquisa está relacionada aos atravessamentos imagéticos e artísticos no corpo através de projeção digital de arte generativa. Integra a coleção Joaquim Paiva de fotografia brasileira contemporânea, incorporada ao acervo do MAM-RJ. Vencedor do 7º Salão de Artes Visuais de Niterói 2019, também foi contemplado no Prêmio Funarte RespirArte 2020 com a vídeoarte “Sombras da Quarentena” e no Prêmio Érika Ferreira de Criação e Desenvolvimento 2020 com o projeto de documentação “Presente de Iemanjá”. Na área do audiovisual, foi Diretor Geral do videoclipe “Nua” e responsável pelos efeitos visuais no videoclipe “Feminino”, ambos do artista Rodrigo Auad. Trabalhou também nos efeitos visuais dos clipes “Release-me” e “Recomeço ( a ser lançado)” da artista Laura Zennet. No campo do teatro já participou de 03 espetáculos (Ultraviolence, Dogma e Babel) com a Companhia BAK Artes Performativas, colaborando como integrante do núcleo de criação e também como fotógrafo still.