Skip to main content

Folha de Contato

Paralaxe LAB no FCFA com curadoria de Joyce Abbade e Cícero Rabello

Como funciona

Pensadas como um espaço de troca e de diálogo, as leituras tem o objetivo de promover o debate sobre seu trabalho analógico, identificando pontos fortes e dando ideias de direções e caminhos a seguir com seu trabalho.

Prepare seu portfólio

Você deverá trazer suas imagens impressas ou organizadas em um dispositivo de visualização (tablet ou laptop). Celulares não serão aceitos. É importante vir com seu material pronto, uma boa leitura depende dessa etapa prévia.

Inscreva-se!

As leituras acontecerão no dia 09/12, entre 10h e 13h. Cada leitura durará até 30 minutos e cada leitor fará 5 leituras. As vagas são limitadas. Realize a sua inscrição e aprofunde sua pesquisa.

Lembrando: você deverá chegar com material pronto, com dispositivo de visualização (tablet ou laptop) carregado. Não teremos dispositivos disponíveis!

Conheça os leitores

O time de leitores montado pelo Paralaxe LAB busca trazer diversos olhares sobre o tema fotografia, com vivências diferentes e perfis diferentes.

Leitoras

Angela Magalhães e Nadja Peregrino

Angela Magalhães é formada em Comunicação Social/UFRJ (1980). Foi bolsista da Fulbright / Capes no International Center of Photography e na Aperture Foundation, NY (1988/89). Iniciou sua carreira no Instituto Nacional de Fotografia da Funarte (1979 a 2003), onde coordenou o projeto itinerância de mostras pelo Brasil (1980-84) e participou da comissão de avaliação de projetos junto à ATEC/Funarte. Em parceria com Nadja Peregrino, realizou centenas de curadorias. 

Nadja Peregrino é mestra em Comunicação (ECO/UFRJ-1990). Atuou como docente (2002-2018) no Curso de Pós-Graduação Fotografia e Imagem da Universidade Cândido Mendes. Entre 1977-1990 trabalhou na Funarte (RJ) e no Centro de Artes da UFF (1990-1998, Niterói) organizando as primeiras exposições individuais de Sebastião Salgado e José Oiticica Filho. Como curadora integrou a seleção dos prêmios e portfólios Hercule Florence (Brasil/França, 2003); Comunidade Européia/Brasil, 2007; Prêmio Marc Ferrez (Funarte, 2010) ; Arte Pará (Belém, 2010); Prêmio Pierre Verger (Salvador, 2017); Paraty em Foco (2018-2020) e FotoRio (2018-2021).

A leitura de portfólios analógicos será feita em dupla pelas duas leitoras.

Leitor

Edu Monteiro

Edu Monteiro é pós-doutorando e doutor em Artes pela PPGHA/UERJ e mestre em Ciência da Arte pela PPGCA/UFF. Artista, pesquisador e professor de fotografia na Univeritas-RJ e Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro ECO/UFRJ. Possui formação em Artes e História Visual pelo Museu Jeu de Paume, Paris, França. Como artista possui obras no acervo do MAM-RJ/Coleção Joaquim Paiva – RJ entre outras.

Leitora

Lilian Soares

Lilian Soares é artista visual, fotógrafa, doutora em Artes Visuais(UFRJ), professora da Escola de Belas Artes (UFRJ) e coordenadora do Laboratório de Fotografia da EBA. Desenvolve pesquisa sobre as diversas experimentações plásticas que ocorrem na prática fotográfica contemporânea, coordenando o projeto de pesquisa “A expansão da experiência fotográfica” e o Laboratório Palomar de Estudos  da Imagem.

Leitora

Teresa Bastos

Teresa Bastos é professora Associada da ECO/UFRJ onde atua na graduação e nos programas de Pós-graduação Artes da Cena (ECO/UFRJ) e Artes Visuais (EBA/UFRJ). Doutora em Letras / Literatura, Cultura e Contemporaneidade (Puc-Rio, 2007), com estágio de doutorado em fotografia na ECHESS, de Paris. Pós-doutorado em Comunicação e Cultura pela ECO/UFRJ (2009 – 2011); Pós-doutorado no Departamento de Histoire de L’Art/Photographie da Université Paris I, Panthéon Sorbonne (2021). Pesquisadora de Fotografia nos seguintes temas: retrato, memória, arquivo, arte.

Leitora

Marcia Mello

Marcia Mello é bacharel em Letras pela UFRJ, pesquisadora, curadora e conservadora de fotografia. Sua formação se completou em estágio no Atelier de Restauration de Photographie de la Ville de Paris.

Participou da implantação do Departamento de Fotografia do MAM/RJ, onde foi curadora entre 1988 e 1997. Nesse período, realizou diversas exposições, entre elas “O daguerreótipo nas coleções cariocas”, ocorrida no Paço Imperial (RJ, 1998), evento integrante da campanha nacional de identificação de daguerreótipos nas coleções brasileiras, promovida pela FUNARTE e coordenada pela pesquisadora. Prestou serviços para instituições públicas e privadas como o Centro de Conservação e Preservação Fotográfica da FUNARTE e o Arquivo Nacional.

Entre 2006 e 2015 foi diretora-curadora da Galeria Tempo (RJ). Assinou a curadoria de exposições na Casa Roberto Marinho, Espaço Cultural BNDES, Museu de Arte do Rio, Paço Imperial, entre outros espaços institucionais na cidade do Rio de Janeiro e São Paulo.

Suas exposições mais recentes são: “te extraño cariño” com fotografias, vídeo e instalação sonora da artista Ana Kemper realizada no Parque das Ruínas (RJ) nos meses de maio de junho de 2023 e “Pau Brazil e as contra-narrativas de José Diniz” realizada na Fundação Iberê Camargo (POA) em agosto de 2023.

Leitor

Pedro Urano

Pedro Urano é diretor de fotografia e artista visual. Mestre em História das Ciências, das Técnicas e Epistemologia pela UFRJ. Doutorando em Tecnologias da Comunicação e Estéticas na Escola de Comunicação da UFRJ. Dirigiu e fotografou os documentários ‘Estrada Real da Cachaça’ (melhor doc nos festivais do Rio e Mar del Plata, AR), ‘HU’(melhor doc em Tiradentes e Monterrey, MX), a série de TV ‘Inhotim Arte Presente’ (melhor série doc no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro) e o longa de ficção ‘Subterrânea’. A partir da fotografia e sua história, Urano investiga o imaginário em torno da ideia de Natureza e sua relação com a espécie humana.

Leitor

Ricardo Siqueira

Ricardo Siqueira é um dos raros fotógrafos brasileiros a atingir a marca de 56.000 livros vendidos, pautados exclusivamente em suas fotografias. Iniciou sua profissão há 35 anos trabalhando para a revista Manchete. Trilhou o caminho do fotojornalismo e publicidade, seguindo pelas revistas Veja, Isto É e Editora Globo. A partir dessa longa trajetória na imprensa nacional desenvolveu a percepção necessária para transformar ideias em Livros de Arte.

Em 1995, fundou a Luminatti Editora e passou a editar seu próprio material através de livros e exposições. São temas como natureza, arquitetura, história e religião. Dedicando-se com exclusividade a cada um de seus projetos durante a fase de elaboração, prepara um livro a cada 1 ou 2 anos, conferindo ao produto final uma característica personalíssima, derivada do cuidado minucioso que reserva a cada página. Pode-se dizer que é uma espécie de editor artesanal.
Inicialmente como um produto derivado de seus livros, passou a produzir audiovisuais e exposições que acabaram por ganhar espaço e público próprios

É fundador e diretor da Associação de Fotógrafos de Natureza (Afnatura) desde 2009, realizando encontros anuais, exposições e concursos, com a missão difundir a fotografia de natureza e promover o livre acesso de fotógrafos à Parques e Reservas no sentido de defender nossa riqueza ambiental através de imagens. Só é possível preservar o que conhecemos!