Skip to main content

O 1º Festival Carioca de Fotografia Analógica começou em uma tarde de outubro de 2021, quando quatro fotógrafos marcaram um ”rolé” de câmera e filme na Praça Mauá, região
portuária do Rio.

O que era um passeio casual virou o início de um coletivo – o Analógico de Janeiro. Mais e mais fotógrafos, profissionais ou amadores, começaram a se juntar ao grupo, que até hoje se reúne todos os meses em algum canto da cidade para um “rolé analógico” – todos bem-vindos, de câmera analógica ou digital, até de celular.

Aterro do Flamengo, Niterói, Paquetá, Santa Teresa, Engenhão, São Cristóvão, Centro – em novembro de 2022, o coletivo já chega à 13ª edição dos rolés, com incontáveis filmes queimados e algumas centenas de fotógrafos que já percorreram e clicaram as ruas da cidade ou simplesmente trocaram informações, dicas e participaram de compras coletivas
em grupos on-line.

O Festival Analógico é uma celebração da existência de um ano do Coletivo Analógico de Janeiro e um chamado ao fortalecimento da comunidade analógica na cidade e no Brasil. Queremos que o Festival se torne uma data constante no calendário cultural da cidade – e que a fotografia analógica possa permanecer viva pelas mãos de quem se recusa a não queimar o filme.

Redação

Author Redação

More posts by Redação

Join the discussion 2 Comments

  • Muito legal. Gostaria de saber como posso me envolver mais nesse movimento de analógico aqui no Rio de Janeiro. Adoro fotografar pelo Centro e atualmente venho desenvolvendo projetos autorais nesse sentido.

    • Redação disse:

      Oi Rinaldo, obrigado pelo comentário! Todo o mês, o Coletivo Analógico de Janeiro marca um rolé analógico por algum lugar bacana da cidade. É só aparecer e trocar uma ideia com a gente. Siga a gente no Instagram (@analogicodejaneiro) que sempre postamos as atividades do grupo. E participe do Festival, vai ter muita troca de informação e uma programação bem bacana.

Leave a Reply